Pular para o conteúdo

Brasil interiorizou 1,5 mil venezuelanos em outubro, diz governo

Venezuelanos

Mais de 16,7 mil refugiados do país vizinho foram aceitos no Brasil no ano

A Operação Acolhida, criada para receber, abrigar e proteger os venezuelanos refugiados da crise na Venezuela, interiorizou mais de 1,5 mil pessoas que estavam em abrigos de Boa Vista (RR) rumo ao interior do país.

Desde o início da Operação, cerca de 43 mil venezuelanos foram interiorizados, mais de 39 mil somente na atual gestão do Governo Federal. Jonathan Perez é um dos migrantes que buscou nova vida no Brasil. Há dois anos ele chegou ao país e estava nos abrigos de Boa Vista (RR). Seu novo destino é Curitiba (PR).

Saiba mais: Obras de saneamento básico recebem verba de mais de 3 mi, para continuidade

Estou muito feliz em ir para uma nova cidade. Minha esposa ficou em Roraima. Vou começar a trabalhar em um frigorífico e logo ela vai poder me encontrar”, relata Perez, durante o seu primeiro voo de avião. Ele foi um dos 125 interiorizados que seguiram em um voo para a capital paranaense em outubro.

O Subcomitê Federal para Interiorização, coordenado pelo Ministério da Cidadania, é responsável pelo processo de aprovação da transferência dos imigrantes das cidades de fronteira para outros estados. Essa é a principal estratégia do governo brasileiro para promover a inclusão socioeconômica daqueles que chegam.

A Operação Acolhida é reconhecida mundialmente pela forma como recebe e oferece caminhos e oportunidades aos nossos vizinhos venezuelanos. Sabemos que eles enfrentam muitas dificuldades diante do regime ditatorial em seu país. Aqui eles encontram suporte para uma vida nova”, afirma o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

Saiba mais: Violência contra mulheres cresce 34% em 2020, mostra pesquisa

Mais de 620 municípios nacionais participam do processo de interiorização e recebem venezuelanos. Entre as cidades que mais receberam refugiados estão Manaus (4.863), São Paulo (2.926) e Curitiba (2.791). Entre os estados, São Paulo (7.358), Paraná (6.829) e Rio Grande do Sul (5.838) se destacam.

Conheça a Operação Acolhida

Criada em 2018 para receber com dignidade os migrantes e refugiados venezuelanos, fugidos da Venezuela, que enfrenta crise político-econômica e êxodo de milhares de pessoas, a Operação Acolhida do Governo Federal é baseada em três pilares: acolhimento, abrigamento e interiorização. Cada um deles ajuda no acolhimento desses migrantes e refugiados venezuelanos.

A estratégia de interiorização teve início em abril de 2018 e até o fim de julho foram interiorizadas mais de 39,8 mil pessoas em mais de 599 cidades brasileiras. Desde o início de 2020 foram interiorizados mais de 12,6 mil venezuelanos, o que representa um investimento do Governo Federal de R$ 630,9 milhões.

De acordo com agências da ONU, o número de venezuelanos que deixaram o país ultrapassa 4 milhões de pessoas, e o Brasil seria o quinto destino procurado por eles. Para garantir o atendimento humanitário aos migrantes e refugiados venezuelanos em Roraima, principal porta de entrada da Venezuela no Brasil, o governo federal criou, em 2018, a Operação Acolhida.

Uma grande força-tarefa humanitária executada e coordenada pelo Governo Federal com o apoio de agências da ONU e de mais de 100 entidades da sociedade civil, a Operação oferece assistência emergencial aos migrantes e refugiados venezuelanos que entram no Brasil pela fronteira com Roraima. Desde o início da crise migratória, até janeiro de 2020, estima-se que mais de 264 mil migrantes e refugiados venezuelanos entraram e permaneceram no Brasil.