sábado, março 6, 2021
Home Saúde Ministério da Saúde promete vacina de Oxford para janeiro de 2021

Ministério da Saúde promete vacina de Oxford para janeiro de 2021

Vacina ainda está em fase de testes antes de ser fornecida no país

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta terça-feira (6) que 30 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a empresa AstraZeneca estarão disponíveis a partir de janeiro de 2021. O prazo anterior era dezembro deste ano.

De acordo com o ministro, além desse lote, outras 70 milhões de doses serão produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) até o primeiro semestre do ano que vem.

Saiba mais: Coronavac: documentação da vacina é entregue ao Ministério da Saúde para análise

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu, em procedimento de submissão contínua, o primeiro pacote de dados da vacina de Oxford. Ainda não existe, neste momento, nenhuma conclusão sobre a qualidade, a segurança e a eficácia de nenhuma das duas vacinas, que continuam passando pela terceira etapa de testes.

A submissão contínua é um procedimento diferenciado para tornar mais rápida a análise de dados referentes às vacinas contra Covid-19 a serem registradas no país. A partir da adoção desse procedimento, não é preciso aguardar a disponibilização de todos os dados e documentos técnicos, bem como o preenchimento dos requerimentos regulatórios, para iniciar a submissão do registro junto à Anvisa. Mas vários passos, obrigatoriamente, ainda precisam ser dados.

Saiba mais: O que é a Síndrome de Borderline?

Processo paralisado

Na primeira quinzena de setembro, a Anvisa suspendeu testes da vacina de Oxford no Brasil depois que uma voluntária na Inglaterra reagiu mal à substância. O caso está sendo investigado. realizou uma reunião com a agência britânica responsável pela área de medicamentos e vacinas na Inglaterra. As agências disponibilizaram informações sobre o estudo da vacina de Oxford da empresa AstraZeneca.

Dias depois, a AstraZeneca anunciou a retomada geral dos testes no mundo todo, depois que cientistas da empresa informaram que não foi encontrada relação de causa e efeito entre a vacina e os sintomas da mulher. No entanto, ela não detalhou os resultados e conclusões sobre a investigação do caso de voluntária que teve efeitos adversos.

A Anvisa disse ter recebido os dados completos de avaliação da agência inglesa para aprofundar a análise sobre o evento adverso e que está acompanhando os dados do comitê independente de segurança que está acompanhando os testes da vacina de Oxford.

O estudo já aplicou doses em 4,6 mil voluntários no Brasil e a agência afirmou que, no Brasil, não houve relatos de efeitos colaterais graves.

Vacinas em fases finais

Ao todo são nove vacinas na última etapa de testes. Esta etapa é a última antes da liberação da vacinação na população.

  • Sinovac (China), também está sendo testada no Brasil
  • Janssen Pharmaceutical Companies (EUA)
  • Moderna/Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (EUA)
  • BioNTech/Fosun Pharma/Pfizer (Alemanha e EUA)
  • Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan/Sinopharm (China)
  • Instituto de Produtos Biológicos de Pequim/Sinopharm (China)
  • CanSino Biological Inc./Instituto de Biotecnologia de Pequim (China)
  • Instituto de Pesquisa Gamaleya (Rússia)

Popular

Início do Brasil nas Eliminatórias superou as expectativas, afirma técnico Tite

Para o técnico da seleção brasileira, Tite, o início da equipe nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar (2022) superou as...

Desfalcados e molhados, Corinthians e Palmeiras não saem do empate

O primeiro Derby Paulistano pela temporada 2021 acabou empatado. Na noite desta quarta-feira (3), debaixo de muita chuva, Corinthians e Palmeiras ficaram no 2...

Em meio à pandemia, atividade econômica cresce no Norte e Centro-Oeste

Mesmo em meio à pandemia de covid-19, que provocou a redução da atividade econômica em todo o país, as regiões Norte e Centro-Oeste registraram...

Estudo revela tamanho da desigualdade de gênero no mercado de trabalho

Levantamento divulgado hoje (4) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que 54,5% das mulheres com 15 anos ou mais integravam a força de...