sábado, março 6, 2021
Home Educação Guia PROUNI: tudo o que você precisa saber sobre o programa

Guia PROUNI: tudo o que você precisa saber sobre o programa

Vestibulandos estudam para tentar bolsas em universidades públicas e privadas

O Prouni é um processo seletivo do Ministério da Educação (MEC) que oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior. É uma oportunidade para estudantes de baixa renda entrarem na universidade.

Para isso, o vestibulando deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. E se a renda for maior que isso, ele poderá concorrer as bolsas parciais (50%), neste caso a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa.

Saiba mais: O que é o Prouni Remanescente, a segunda oportunidade de vagas na universidade

Para se inscrever no Prouni o estudante brasileiro precisa fazer o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), não necessariamente aquele ano, mas precisa ter tirado pelo menos 450 de pontuação média nas notas e não ter zerado na redação. Convém lembrar que para ter direito a bolsa, o estudante não pode ter diplomação superior.

É muito disputado, pois as bolsas são poucas para o número de estudantes que se inscrevem, todavia é mais acessível de ingressar que o SISU (Sistema de Seleção Unificada) programa na qual se ofertam vagas em universidades públicas.

Saiba mais: Enem 2020: estudantes têm até hoje para cadastrar foto no site de inscrição

Quais são as bolsas no Programa Universidade para Todos?

As bolsas são para as universidades particulares. São dois tipos de bolsas ofertadas, as parciais e as integrais. As integrais são para as pessoas de baixa renda. Sendo assim, as integrais, o governo que arca com todas as mensalidades até a conclusão do curso. O estudante precisa tomar cuidado com a frequência na faculdade e também as notas, para ter um desempenho mínimo exigido para a manutenção da bolsa.

Já as bolsas parciais, são para candidatos que possuam uma renda familiar um pouco mais alta, cerca de 2 á 3 salários mínimos. Desta forma, o aluno fica responsável por pagar apenas 50% das mensalidades, e o governo paga a metade restante até a conclusão do curso.

Como funciona a seleção?

A seleção é feita a partir da nota do ENEM. O candidato que seguir os requisitos e tirar nota maior que 450 e não ter zerado na redação pode se inscrever. As incrições são feitas por alguns dias, nesses dias o candidato escolhe as vagas nas universidades que deseja. Vale lembrar que o candidato tem que se atentar para as notas de corte das vagas que deseja, pois, elas variam e tendem a aumentar, durante os dias de inscrição.

O processo todo é composto por duas chamadas. As primeiras chamadas são para os candidatos que ficaram acima da nota de corte, e a segunda é para aqueles que ficaram abaixo da nota de corte. Muitas vezes por falta de documentos, abre-se vagas para os estudantes da segunda chamada.

Mas se não for pré-selecionado nas chamadas regulares, não desanime. Você ainda poderá manifestar interesse em participar da lista de espera do programa.

As inscrições podem ser feitas duas vezes por ano, geralmente, no início de cada semestre. O Ministério da Educação (MEC), disponibiliza o cronograma em edital. Basta o estudante acessar o site e fazer o cadastro com seus dados pessoais.

Popular

Início do Brasil nas Eliminatórias superou as expectativas, afirma técnico Tite

Para o técnico da seleção brasileira, Tite, o início da equipe nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar (2022) superou as...

Desfalcados e molhados, Corinthians e Palmeiras não saem do empate

O primeiro Derby Paulistano pela temporada 2021 acabou empatado. Na noite desta quarta-feira (3), debaixo de muita chuva, Corinthians e Palmeiras ficaram no 2...

Em meio à pandemia, atividade econômica cresce no Norte e Centro-Oeste

Mesmo em meio à pandemia de covid-19, que provocou a redução da atividade econômica em todo o país, as regiões Norte e Centro-Oeste registraram...

Estudo revela tamanho da desigualdade de gênero no mercado de trabalho

Levantamento divulgado hoje (4) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que 54,5% das mulheres com 15 anos ou mais integravam a força de...