Pular para o conteúdo

Preços baixos na Argentina tornam país atrativo para as férias de julho em família

Preços baixos na Argentina

Preços baixos na Argentina despertam o interesse dos turistas brasileiros

No mês de julho, período de férias escolares no Brasil, a forte desvalorização da moeda argentina em relação ao dólar tem despertado o interesse dos turistas brasileiros em aproveitar viagens em família a preços mais acessíveis. Os preços baixos na Argentina tornam assim bem atrativa uma viagem até ao país das Pampas. Com a inflação no país vizinho alcançando patamares de três dígitos, o peso argentino sofreu uma desvalorização considerável, resultando em uma queda de 15% a 20% nos preços no país.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística e Censos da Argentina (Indec), em 2022, cerca de 40 mil brasileiros viajaram para Buenos Aires somente no primeiro trimestre. Já neste ano, durante o mesmo período, a Argentina registrou a visita de aproximadamente 106 mil turistas provenientes do Brasil.

Dentre os destinos mais procurados para o turismo dentro do país vizinho estão Bariloche, El Calafate e Ushuaia. Entretanto, é na capital Buenos Aires que se concentra o maior número de turistas latino-americanos, aproveitando não apenas os passeios, mas também as oportunidades de compras.

De acordo com um levantamento realizado pela Maxmilhas, a procura por passagens aéreas para Argentina neste mês de julho apresentou um aumento de 87% em comparação ao mesmo período do ano anterior. A Argentina é considerada uma boa opção para quem deseja conhecer destinos de neve, próximos de casa e com preços mais acessíveis, mesmo durante a alta temporada.

As atividades relacionadas ao turismo de frio têm se destacado, evidenciado pelo aumento de 80% na procura por hospedagens em cidades voltadas para esse segmento, de acordo com os dados da Maxmilhas. As cidades argentinas mais procuradas incluem Bariloche, El Calafate e Ushuaia. Bariloche se destaca como a cidade sul-americana mais conhecida para a prática de esqui, com a famosa estação de Cerro Catedral.

Com a combinação de preços mais baixos e atrações turísticas de qualidade, turistas brasileiros têm encontrado na desvalorização da moeda argentina uma oportunidade para desfrutar de viagens internacionais durante as férias escolares de julho. Mesmo com todas as vantagens de uma viagem internacional para lugares requisitados pelas belezas naturais, é preciso que as famílias fiquem atentas às exigências legais quando o passeio envolve menores de idade.

Os pais ou responsáveis devem verificar com antecedência quais são os documentos necessários e se há necessidade de solicitar autorização de um dos progenitores. Em todos os casos, os viajantes devem portar documento de identidade ou certidão de nascimento original ou autenticada.

Os pais, principalmente os solteiros, divorciados ou que forem embarcar sem seu par ao exterior a terem atenção redobrada. Segundo Andrey Guimarães Duarte, vice-presidente do Colégio Notarial do Brasil – Seção São Paulo, nossa legislação obriga a autorização do pai que não esteja acompanhando a criança, mesmo que ela esteja na companhia do outro.

De acordo com a Resolução nº 131 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a autorização para a viagem de menores ao exterior deve ser feita por instrumento público ou documento particular com firma reconhecida em cartório. O texto deve prever um prazo de validade e dispensa a inclusão de fotografia da criança.

Se isso não for feito, a autorização fica automaticamente válida por dois anos. O formulário modelo pode ser encontrado no site da Polícia Federal: http://www.pf.gov.br/servicos-pf/passaporte/3_edicao_manual_menores.pdf/view.

O Colégio Notarial do Brasil alerta que o reconhecimento de firma feito por autenticidade, com a presença no cartório da pessoa que autoriza a viagem, é, sem dúvida, mais recomendável para essas situações, uma vez que minimiza consideravelmente a possibilidade de ocorrer viagem de crianças e adolescentes em desconformidade com a vontade dos pais, ajudando inclusive no combate ao tráfico internacional de crianças.

Os pais também devem ter cuidado com as crianças que já possuem o novo passaporte, no qual a página de identificação inclui um campo para autorização prévia dos responsáveis para viagem de menores desacompanhados. “O documento emitido pela Polícia Federal não prevê algumas situações que o instrumento público pode contemplar e que são de extrema importância para os pais. Por exemplo, não é possível informar com quem a criança poderá viajar, qual será o destino ou ainda o período do passeio. Na autorização de viagem individual, é possível indicar também um prazo de validade, o que não acontece com a autorização feita no passaporte”, ressalta Andrey.

Outra dica para quem vai viajar ao exterior é o seguro viagem oferecido por várias empresas de cartões de crédito. Para ter acesso ao serviço é necessário comprar a passagem na função crédito e entrar em contato com a operadora antes da viagem para emissão do comprovante do seguro. É importante confirmar previamente todos detalhes dos benefícios que também podem ser estendidos ao cônjuge ou companheiro, desde que a união estável tenha sido lavrada em cartório de notas.

“O contrato de união estável é importante, porque além de comprovar o vínculo entre as pessoas, possibilita ao casal benefícios como a inclusão em planos de saúde e seguros de vida, além de facilitar a comprovação da união em caso de separação ou morte de um dos indivíduos, pensão e divisão de bens, entre outros direitos. O documento registra também a data de início da união”, explica Andrey.

Para quem vai ficar muitos dias fora do Brasil, o CNB/SP aconselha deixar uma procuração pública com alguém de confiança. “Nunca se sabe o que pode acontecer e o problema pode tomar proporções indesejadas caso a pessoa não deixe um representante no País”, afirma Andrey.

A procuração é o instrumento pelo qual uma pessoa nomeia outra de sua confiança como seu representante (procurador), para agir em seu nome em determinada situação em que não possa estar presente.

Para fazer o documento, basta o interessado procurar um cartório de notas portando o documento de identidade original e indicar os dados de quem deseja nomear como procurador, bem como os poderes que lhe serão conferidos.

Marcações: