quinta-feira, agosto 5, 2021
Home Economia IBGE: Inflação avança 0,86% em outubro, maior alta para o mês desde...

IBGE: Inflação avança 0,86% em outubro, maior alta para o mês desde 2002

Taxa é acima da divulgada em setembro; no ano, IPCA é de 2,22%

A alta no preço dos alimentos e das passagens aéreas pressionou a inflação de outubro, que acelerou para 0,86%, acima da taxa registrada em setembro (0,64%). Esse é o maior resultado para um mês de outubro desde 2002, quando o indicador foi de 1,31%. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta sexta-feira (6) pelo IBGE.

No ano, a inflação acumula alta de 2,22% e, em 12 meses, de 3,92%, acima dos 3,14% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2019, o indicador havia ficado em 0,10%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em outubro. A maior variação (1,93%) e o maior impacto (0,39 p.p.) vieram, mais uma vez, de alimentação e bebidas, que desaceleraram em relação ao resultado de setembro (2,28%).

Saiba mais: Pesquisa: 57% dos servidores públicos preferem trabalho presencial em regime escalonado

Isso ocorreu em função das altas menos intensas em alguns alimentos, como o arroz (13,36%) e o óleo de soja (17,44%), que no mês anterior haviam ficado em 17,98% e 27,54%, respectivamente.

Por outro lado, a alta nos preços do tomate (18,69%) foi maior que em setembro (11,72%). Outros itens, como as frutas (2,59%) e a batata-inglesa (17,01%), também registraram variações positivas em outubro, após recuo dos preços no mês anterior. As carnes subiram 4,25%. Já no lado das quedas, destaca-se a cebola (-12,57%), a cenoura (-6,36%) e o alho (-2,65%).

Todos esses itens têm contribuído para alta sustentada dos preços dos alimentos, que foram de longe o maior impacto no índice do mês”, afirma o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov.

O segundo maior impacto (0,24 p.p.) sobre a inflação veio dos transportes (1,19%), principalmente, das passagens aéreas (39,83%), que contribuíram com 0,12 p.p, exercendo o maior impacto individual no índice geral. Houve alta nos preços das passagens em todas as regiões pesquisadas, que foram desde os 21,66% em Porto Alegre até 49,71% em Curitiba.

Saiba mais: Indústria cresce 2,6% em setembro, eliminando perdas da pandemia

A alta nas passagens aéreas parece estar relacionada à demanda, já que com a flexibilização do distanciamento social, algumas pessoas voltaram a utilizar o serviço, o que impacta a política de preços das companhias aéreas”, explica Pedro Kislanov, lembrando que os preços das passagens foram coletados em agosto para quem ia viajar em outubro.

A segunda maior contribuição nos transportes (0,04 p.p.) foi da gasolina, cujos preços subiram 0,85%, desacelerando em relação à alta de 1,95% observada no mês anterior.

Ainda entre os grupos, Kislanov destaca que a segunda maior variação veio dos artigos de residência (1,53%), com a alta nos preços dos eletroeletrônicos e dos artigos de informática, influenciados pelo dólar. Outro destaque no lado das altas foi vestuário (1,11%), que acelerou na comparação com o mês anterior (0,37%). Os demais ficaram entre a queda de 0,04% em educação e a alta de 0,36% em habitação.

A alta dos preços foi generalizada em todas as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE. O maior resultado ficou com o município de Rio Branco (1,37%), devido às carnes (9,24%) e ao arroz (15,44%). Já o menor índice ficou com a região metropolitana de Salvador (0,45%), influenciado pela queda nos preços da gasolina (-2,32%).

INPC avança 0,89%, maior índice em 10 anos

Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) teve alta de 0,89% em outubro. Esse é o maior resultado para um mês de outubro desde 2010, quando o INPC foi de 0,92%. Em setembro, o indicador havia ficado em 0,87%. No ano, o índice acumula alta de 2,95% e, nos últimos 12 meses, de 4,77%. Em outubro de 2019, a taxa foi de 0,04%.

Pedro Kislanov observa que o INPC ficou, novamente, acima do IPCA (0,86%), mas com uma diferença menor que no mês anterior. Em setembro, o INPC avançou 0,87%, enquanto o IPCA subiu 0,64%. A aproximação dos dois indicadores em outubro pode ser explicada pelos alimentos e as passagens aéreas.

O INPC é calculado com base em famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos, sendo o chefe assalariado, em dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e de Brasília. Já o IPCA abrange famílias que ganham até 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte.

Popular

5 criptomoedas promissoras de 2021

Confira quais as criptomoedas promissoras do ano que valem seu investimento Nos últimos anos, um novo tipo de dinheiro entrou em cena, as chamadas criptomoedas...

Smart IPTV: tudo sobre o aplicativo

Foto: Divulgação/Smart IPTV. Confira como o aplicativo Smart IPTV mudou a maneira de ver televisão O aplicativo Smart IPTV é derivado da tecnologia chamada IPTV, que...

Quais são os atores da novela Amor de Mãe?

Foto: Globo/João Cotta Veja quem são os personagens dos atores da novela Amor de Mãe Produzida e exibida pela TV Globo, a novela Amor de Mãe...

Extraterrestre: confira as últimas notícias

Uma das imagens capturadas pelos pilotos americanos. Foto: Reprodução/Departamento de Segurança dos EUA. A vida extraterrestre sempre foi uma grande incógnita para os cientistas e...

Esportes de marca: o que é e quais os tipos

Confira todos os tipos de esportes de marca e suas definições O esporte é uma das coisas que move todo o mundo e as pessoas....

Sherlock Holmes existiu de verdade?

Sherlock Holmes em ilustração de 1904 por Sidney Paget. Foto: Divulgação/Wikipédia.  Um detetive muito famoso no mundo da literatura, mas será que realmente Sherlock...

Qual o significado da bandeira Imperial do Brasil?

Entenda qual o real significado e toda a história da Bandeira Imperial do Brasil  A Bandeira Imperial do Brasil desde sua criação teve duas versões,...

Boletim escolar digital na pandemia

O boletim escolar digital foi uma das mudanças provocadas por causa da pandemia que teve início em 2020 Em março de 2020, o mundo se...