sábado, março 6, 2021
Home Esportes Dérbi que decidirá finalista do Brasileirão feminino termina sem gols

Dérbi que decidirá finalista do Brasileirão feminino termina sem gols

Decisão ficou para o próximo domingo, na Neo Química Arena

Em mais uma partida válida pelas semifinais do Brasileirão Feminino A-1 disputada neste domingo (8), Palmeiras e Corinthians fizeram um clássico tenso e equilibrado no Allianz Parque, em São Paulo (SP). No fim das contas, empate em 0 a 0 no duelo da ida e decisão em aberto. As duas equipes vão entrar em campo novamente pela vaga na grande final na próxima segunda-feira (16), na Neo Química Arena, em São Paulo (SP). Veja como foi o jogo:

Gabi Zanotti teve a primeira boa chance do Corinthians logo aos três minutos de jogo, mas finalizou à esquerda. Durante boa parte do primeiro tempo, as corintianas buscaram rodar a posse de bola, mas esbarraram na marcação dura da equipe do Palmeiras.

Saiba mais: Conheça os classificados para as quartas de final da Copa do Brasil

Com poucas oportunidades de finalizar, o Timão só voltou a assustar aos 35, em finalização de Adriana após roubada no ataque. Porém, o chute saiu à direita do gol defendido por Vivi. Desta forma, as duas equipes foram empatadas para o intervalo.

No segundo tempo, a postura do Corinthians mudou e os dez primeiros minutos foram de pressão. Primeiro, aos dois, em cabeceio de Vic Albuquerque, que só não entrou porque Vivi fez grande defesa. Aos seis, foi a vez de Katiuscia aproveitar o pivô de Gabi Zanotti e finalizar com perigo, mas a chance foi para fora.

Saiba mais: Sub-17: Saiba quem são os jovens craques do Brasileirão

A primeira chegada perigosa do Palmeiras no jogo aconteceu apenas aos 17, quando Agustina desviou de cabeça em escanteio e Lelê foi buscar. O panorama da etapa inicial voltou a se apresentar no Allianz Parque, mas as corintianas novamente criaram pouco.

Já aos 45, a bola finalmente entrou, mas não valeu: Juliete recebeu cruzamento na pequena área e mandou para o fundo da rede, mas a arbitragem invalidou o lance por impedimento. Desta forma, o placar ficou mesmo zerado até o fim.

Craque do Jogo

Feminino
Foto: CBF/Divulgação

Eleita Craque do Jogo em votação popular feita no Twitter do @BRFeminino, a zagueira alvinegra Érika comemorou o prêmio, mas lamentou o resultado fora de casa.

É estranho isso de ganhar o troféu como melhor do jogo. Sempre brincamos que zagueiras nunca vão ganhar, pois estão aqui para tirar as bolas (risos). Fiquei um pouco triste pelo resultado, pois viemos aqui buscando os três pontos e é isso que pensamos o tempo todo, em jogar e jogar.” comentou a Craque.

“Infelizmente o Palmeiras veio mais recuado, querendo uma bola para tentar de cobertura ou sair no contra-ataque. Mas tentamos jogar da melhor forma possível e agora é levar pra Neo Química”, completou a veterana.

Sempre se comunicando, Érika é referência em campo e sempre uma peça importante no esquema do técnico Arthur Elias. Pensando no segundo tempo, ela avaliou o desempenho do time corinthiano e declarou a torcida para um resultado melhor na próxima segunda-feira (16), quando os times voltam a se encontrar na Neo Química Arena, em São Paulo (SP), às 19h. O duelo será transmitido pelo Twitter.

Popular

Início do Brasil nas Eliminatórias superou as expectativas, afirma técnico Tite

Para o técnico da seleção brasileira, Tite, o início da equipe nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar (2022) superou as...

Desfalcados e molhados, Corinthians e Palmeiras não saem do empate

O primeiro Derby Paulistano pela temporada 2021 acabou empatado. Na noite desta quarta-feira (3), debaixo de muita chuva, Corinthians e Palmeiras ficaram no 2...

Em meio à pandemia, atividade econômica cresce no Norte e Centro-Oeste

Mesmo em meio à pandemia de covid-19, que provocou a redução da atividade econômica em todo o país, as regiões Norte e Centro-Oeste registraram...

Estudo revela tamanho da desigualdade de gênero no mercado de trabalho

Levantamento divulgado hoje (4) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que 54,5% das mulheres com 15 anos ou mais integravam a força de...