Pular para o conteúdo

Como comprar Ethereum no Brasil?

Como comprar Ethereum no Brasil?

Confira como comprar Ethereum, para que pode ser usado e qual sua cotação

As criptomoedas são moedas digitais, que só valem no mundo da web e cada vez ficam mais conhecidas. A moeda mais conhecida e a primeira a surgir foi o Bitcoin, em segundo lugar sendo, com maior valor de mercado e sendo uma das moedas virtuais mais populares, está o Ether.

Essa criptomoeda e sua blockchain, o Ethereum, ganharam bastante popularidade no mundo das moedas digitais. Se você está pensando em investir nessa moeda, confira para que ela pode ser usada, qual a sua cotação e como comprá-la.

Como comprar ethereum?

Com um valor de mercado estimado em US$128 bilhões, existem muitascasas de câmbio que oferecem a compra de Ether, mas apenas com bitcoin (BTC) ou dolar (USD). As maiores vendedoras são: Binance, OKEx, Bitfinex, GDAX e Poloniex.

No Brasil, para comprar ether, com BR, o método mais seguro é comprar BTC em exchanges populares, como por exemplo, Mercado Bitcoin e Foxbit e depois trocar a moeda por ETH nas maiores casas de câmbio.

Para que o Ethereum pode ser usado?

A criptomoeda possibilita a criação e implementação de aplicativos descentralizados, produzidos por desenvolvedores. Além disso, o Ethereum permite que qualquer serviço centralizado possa ser descentralizado usando a plataforma.

O Ethereum também pode ser utilizado para criar Organizações Autônomas Descentralizadas (DAO), que apresentam uma operação completamente transparente e independente de qualquer intervenção, ou seja, sem nenhum líder. Essas organizações são executadas por código de programação e uma coleção de contratos inteligentes escritos no Blockchain, para eliminar a necessidade de uma pessoa ou grupo de pessoas no controle completo e centralizado de uma organização.

Qual a história do Ethereum?

A história do Ethereum começou em 2013, quando o programador russo-canadense Vitalik Buterin, então com apenas 19 anos, idealizou a criação dessa criptomoeda. Buterin já tinha envolvimento com o Bitcoin, mas percebeu que a tecnologia blockchain poderia ser usada para muito mais do que apenas transações financeiras.

Buterin publicou um white paper em 2014 detalhando formalmente o Ethereum, uma plataforma descentralizada que permitiria a criação de contratos inteligentes e aplicativos distribuídos (dApps) usando a tecnologia blockchain. Ele contou com a ajuda de outros cofundadores, como Gavin Wood, Charles Hoskinson e Anthony Di Iorio.

O desenvolvimento do Ethereum ocorreu através de uma pré-venda de tokens (ether) em 2014, arrecadando mais de US$ 18 milhões. A rede Ethereum foi oficialmente lançada em 30 de julho de 2015.

Desde então, o Ethereum passou por várias atualizações e melhorias, como o hard fork de 2016 que resultou na divisão entre Ethereum (ETH) e Ethereum Classic (ETC), após um grande roubo de fundos. A rede também enfrentou desafios de escalabilidade, levando ao desenvolvimento de soluções como a Ethereum 2.0.

Hoje, o Ethereum é a segunda maior criptomoeda em valor de mercado, atrás apenas do Bitcoin. Ele se tornou a base para inúmeros projetos e inovações no espaço cripto, revolucionando áreas como finanças descentralizadas (DeFi), tokens não fungíveis (NFTs) e muito mais.

Qual o futuro do Ethereum?

De acordo com as últimas pesquisas, o futuro do Ethereum parece promissor, com várias previsões indicando um potencial de valorização nos próximos anos. No entanto, é importante ressaltar que essas previsões são baseadas em análises e projeções, e o mercado de criptomoedas é conhecido por sua volatilidade.

Algumas das principais expectativas para o futuro do Ethereum incluem:

  • Potencial de valorização: Algumas previsões sugerem que o preço do Ethereum possa atingir US$ 4.000 no curto prazo, impulsionado por fatores como adoção crescente e melhorias na rede.
  • Expansão da plataforma: Com a atualização “The Merge”, espera-se que o Ethereum se torne maior, melhor e mais rápido, abrindo caminho para ainda mais inovações e aplicações na rede.
  • Aumento da adoção: O Ethereum tem atraído cada vez mais atenção de investidores e entusiastas, o que pode impulsionar sua adoção e, consequentemente, seu valor.
  • Evolução tecnológica: Como uma plataforma que revolucionou o mundo das criptomoedas, o Ethereum está constantemente evoluindo e se adaptando para atender às necessidades do mercado.

No entanto, é crucial lembrar que investir em criptomoedas envolve riscos, e é sempre recomendado fazer sua própria pesquisa e investir apenas o que você pode se dar ao luxo de perder. O futuro do Ethereum, embora empolgante, ainda é incerto e sujeito a muitas variáveis.

 

Leia também:

Como investir em bitcoins?