quarta-feira, setembro 28, 2022
HomeEconomiaEm meio a críticas, Banco Carrefour demite funcionários e aposta em terceirização

Em meio a críticas, Banco Carrefour demite funcionários e aposta em terceirização

Sindicato protesta contra decisão que deixou cerca de 40 pessoas sem emprego

Em meio à pandemia do coronavírus, o Banco Carrefour dispensou quase 40 trabalhadores e, segundo informações, seguirá demitindo. O banco agora aposta na terceirização dos funcionários.

Os funcionários estão com medo, não confiam no banco, que demite mesmo que as metas estejam sendo cumpridas, o que está criando um clima instável e de terror entre os trabalhadores”, afirma Neiva Ribeiro, secretária-geral do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Saiba mais: PIX: Tudo o que que você precisa saber sobre novo meio de pagamentos

Um funcionário do setor de prevenção a fraudes do Carrefour Aricanduva foi demitido em setembro, somando-se aos mais de 30 que já foram mandados embora desde a chegada do coronavírus ao país. A instituição alegou má performance como motivo desta última demissão, mas o sindicato apurou com colegas que a demissão foi injusta, pois o funcionário tinha indicadores positivos.

Em um momento tão difícil pelo qual o Brasil está passando, o conglomerado Carrefour não retribuiu em nada todo lucro que consegue no país, e segue demitindo em meio à crise econômica e social causada pela pandemia que mantém mais de 13 milhões de pessoas sem emprego. Um absurdo inaceitável de uma empresa que está obtendo lucro, e que terá resposta do Sindicato”, afirma Neiva Ribeiro.

Saiba mais: Renda Cidadã: Relatório é adiado mais uma vez

Terceirização de Funcionários

O Banco Carrefour passou a intensificar seus processos de terceirização em meio à pandemia. Além disso, alguns funcionários foram transferidos para outros setores, deixando quem não conseguiu transferência com medo de perder emprego.

Além disso, a Algar contratou cerca de 50 funcionários lotados em Belo Horizonte que estão recebendo orientação e suporte dos próprios bancários do Banco Carrefour, que não sabem se vão ser transferidos ou se também irão perder o emprego.

Popular